Conselho Regional de Educação Física encontra 32 irregularidades em Friburgo

Em 2018 sete profissionais foram flagrados atuando sem registro em escolas e academias
segunda-feira, 28 de janeiro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
A fiscalização realizada em Friburgo (Foto: Divulgação)
A fiscalização realizada em Friburgo (Foto: Divulgação)

 

Em 2018 o Departamento de Fiscalização do Conselho Regional de Educação Física (Cref1) realizou cinco operações em Nova Friburgo para verificar o exercício ilegal da profissão. Ao todo 81 estabelecimentos, incluindo escolas, estúdios e academias foram visitados. Dentre as irregularidades encontradas, cinco estabelecimentos não tinham registro de pessoa jurídica, cinco estavam sem responsável técnico; um local funcionava sem a supervisão de um profissional de Educação Física; quatro profissionais fora da área de habilitação e dez profissionais atuando sem possuir o curso de Suporte Básico de Vida. Também foram encontrados sete profissionais sem registro atuando em escolas, casos que já foram solucionados junto ao Ministério Público.

A Região Serrana ocupa o segundo lugar no ranking de exercício ilegal da Educação Física. Foram 38 flagrantes da irregularidade pelo Cref1. O primeiro lugar ficou com a Região Metropolitana do estado, com 232 casos de exercício ilegal. Ao todo, em todo estado, foram encontrados 334 falsos profissionais a frente de atividades físicas. Em terceiro lugar, ficou o Norte e Noroeste do estado com 21 casos, seguido pela Baixada Litorânea, que compreende a Bacia de São João e Região dos Lagos, com 20 casos, a região Sul Fluminense (17) e a Costa Verde (6).

Segundo a supervisora de fiscalização do Cref1, Giovanna Pereira, as ações da fiscalização têm por objetivo defender a sociedade e zelar pela qualidade dos serviços profissionais oferecidos, através da habilitação, regulação e fiscalização do exercício profissional de Educação Física. “Ter a presença do profissional de educação física em locais onde se pratica as mais variadas formas de atividade física, como academias, estúdios, clubes, entre outros, além de obrigatória, é fundamental, pois ele irá orientar de forma segura e eficiente a prática de exercícios”, disse.

Além dos casos de exercício ilegal, o Cref1 também constatou outras 71 irregularidades em estabelecimentos do estado. Entre elas, 27 não tinham responsável técnico nomeado junto a entidade, 32 não possuíam registro de pessoa jurídica, sete salas estavam desprovidas de profissionais e outros cinco atuavam fora de sua área de habilitação. Todos os casos de exercício ilegal foram encaminhados ao Ministério Público e os estabelecimentos irregulares estão com processos em andamento no Departamento Jurídico do Cref1.

 

TAGS: saúde