Compra milionária de medicamentos promete regularizar estoques

Duas remessas somam mais de R$ 13 milhões e contemplam quase 300 itens que estavam em falta ou com estoque baixo no almoxarifado da Secretaria de Saúde de Friburgo
sexta-feira, 27 de setembro de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
O almoxarifado central da Secretaria Municipal de Saúde com estoques reabastecidos (Reprodução de vídeo)
O almoxarifado central da Secretaria Municipal de Saúde com estoques reabastecidos (Reprodução de vídeo)

A Prefeitura de Nova Friburgo divulgou um vídeo no último dia 16, através da Subsecretaria de Comunicação Social, mostrando que o almoxarifado central da Secretaria Municipal de Saúde estava com as demandas de medicamentos supridas e os estoques reabastecidos. Já na edição de quarta-feira, 25, do Diário Oficial do município publicado em A VOZ DA SERRA, a prefeitura confirmou a compra emergencial de mais dezenas de medicamentos para atender às necessidades das unidades municipais de saúde pelo período de 120 dias.

De acordo com a publicação, foram feitas dez compras emergenciais (ou seja, com dispensa de licitação) distintas, de cerca de 60 medicamentos que, somadas, custarão R$ 533.714,02 aos cofres do município. As aquisições foram feitas no último dia 20, porém, publicadas apenas nesta quarta-feira no Diário Oficial. Todas foram assinadas pelo secretário interino de saúde, Eder Carpi dos Santos, o Ceará, que substitui o titular da pasta e vice-prefeito, Marcelo Braune, que está em férias por 15 dias.

Os medicamentos irão atender às necessidades dos hospitais municipais Raul Sertã e Maternidade Mário Dutra de Castro, da Farmácia Básica do município, do Programa Melhor em Casa e do Fundo Municipal de Saúde. Dos dez contratos emergenciais, o mais caro foi firmado com a empresa Medicom Rio Farma, ao custo total de R$ 225.029,50.

Primeira compra foi ainda maior

Sobre a primeira compra de medicamentos mostrada no vídeo divulgado recentemente, a Prefeitura de Nova Friburgo informou, em nota, que a aquisição foi feita através de licitação por R$ 12.575.647,26 para a compra de 213 itens. A estimativa do processo era de R$ 26.218.001,17 para a compra de 470 itens. No entanto, para os 257 itens restantes não apareceram compradores interessados, informou a prefeitura. Ainda segundo a nota, já há uma nova licitação em curso para a compra de medicamentos de modo que não seja necessário fazer uma nova compra emergencial.

“Tem ataduras, soros, luvas, lençóis hospitalares, dipirona em comprimido, gotas e injetável. A farmácia do Raul Sertã e de toda a rede de saúde de Nova Friburgo está super bem abastecida. Dessa vez a prefeitura caprichou”, disse o subsecretário de Comunicação, Fernando Moraes, no vídeo divulgado recentemente.

“Antes tínhamos um problema com o fluxo, que agora está sendo resolvido. Todos os medicamentos que estão chegando são enviados logo para as unidades. E com essa organização do fluxo e da demanda, pretendemos não ter novamente esse desabastecimento”, complementou a coordenadora da Assistência Farmacêutica, Ana Carla.

Compras prometem regularizar estoques

As duas remessas de compras de medicamentos para atender à rede municipal de saúde somam R$ 13.109.361,28 e contemplam quase 300 itens que estavam em falta ou com estoque baixo no almoxarifado central do município. Ainda de acordo com o vídeo divulgado pela Subsecretaria de Comunicação Social, a expectativa é de que a população já perceba imediatamente os efeitos do reabastecimento das unidades de saúde.

O problema da falta de medicamentos e insumos básicos nas unidades de saúde de Nova Friburgo se agravou em 2019, conforme inúmeras reclamações e denúncias feitas à nossa redação por usuários da rede pública de saúde.

No início de maio deste ano, por exemplo, ao anunciar seu pedido de exoneração da direção médica do Hospital Municipal Raul Sertã após seis meses no cargo, o médico Arthur Gremion confirmou a deficiência em entrevista exclusiva ao jornal A VOZ DA SERRA. “Sentimos falta de insumos, falta de seringas, de medicamentos básicos e catéteres. Em procedimentos eletivos, por exemplo, às vezes não se tem uma tela. Aí tenta-se conseguir em outro hospital, porque troca é possível fazer. É tudo muito complicado”, afirmou Arthur na época de sua saída do cargo.

Prefeitura faz esclarecimento

A Prefeitura de Nova Friburgo enviou nota à nossa redação esclarecendo que o processo de compra foi aberto “para suprir os medicamentos que não foram  contemplados na licitação ocorrida em agosto sob o processo licitatório 17372/2019.

Na nota assinada pelo secretário de Saúde interino, Éder Carpi, é informado que não foram realizadas dez compras emergenciais, e sim apenas um processo emergencial sob o número 20185/2019, tendo sido consagrado vários vencedores. No Diário Oficial da última quarta feira, 25, foram publicadas as laudas das notas de autorização de despesa em favor das empresas vencedoras do certame.

 

 

TAGS: saúde | Governo