Com gol no final, Frizão vence o Barra Mansa no Marrentão

Primeira vitória na Taça Corcovado recoloca time na briga pelas semifinais, não só no 2º turno, como na classificação geral
quinta-feira, 27 de julho de 2017
por Vinicius Gastin
Jefinho e Yan dobram marcação: disposição para superar obstáculos em Duque de Caxias (Foto: FutRio)
Jefinho e Yan dobram marcação: disposição para superar obstáculos em Duque de Caxias (Foto: FutRio)

Um jogo duro, brigado e de baixo nível técnico. Muito em função do gramado bastante castigado na tarde de terça-feira, 25, no Marrentão, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, prejudicando qualquer possibilidade de um bom futebol. Com cara e palco de série B, o Friburguense foi à luta, acreditou até o final e conseguiu encontrar o gol da vitória fechando o placar de 1 a 0 sobre o Barra Mansa através de Jarles, aos 42 minutos do segundo tempo.  

O primeiro triunfo na Taça Corcovado recoloca o Frizão na briga pelas semifinais, não só através do segundo turno, como também da classificação geral. O Tricolor da Serra volta a campo no próximo sábado, 29, para receber o Sampaio Corrêa, às 15h, no Eduardo Guinle.

 “Foi um jogo muito duro, mas fomos premiados no final do jogo com o gol de Jarles. O gramado dificultou um pouco, mas conseguimos conquistar uma importante vitória. Méritos para a nossa equipe”, avaliou o goleiro Luiz Felipe.

Faltou capricho...

A derrota para o América poderia ter causado um estrago maior do que apenas o resultado. Pela maneira como aconteceu, o Friburguense teve relativamente pouco tempo para acertar detalhes, recuperar a parte emocional e se refazer para o desafio seguinte pelo returno do Campeonato Carioca da Série B. Exatos três dias depois, o Tricolor da Serra pegou a estrada rumo à Duque de Caxias, no palco onde lamentou a igualdade com o Queimados na última visita. A vontade de conquistar a primeira vitória na Taça Corcovado e a necessidade de seguir um roteiro diferente fizeram a equipe começar o duelo ligada. Mesmo desfalcada de Marcelo, Sérgio Gomes e Bidu, todos titulares do sistema defensivo.

Se o Barra Mansa, mandante da partida, tentava reter a posse de bola nos primeiros minutos, o Friburguense construía as jogadas nos contra golpes. O gramado atrapalhava o andamento do jogo, e nesse contexto, a bola parada era o recurso para tentar encontrar o caminho do gol. Mas foi a partir de um passe errado do Tricolor que o time anfitrião forçou Luiz Felipe a trabalhar pela primeira vez. Na mesma moeda, o Frizão buscava a referência de Lohan, vigiado de perto pela defesa rival. Aos 13 minutos a bola foi trabalhada na intermediária, mas Ziquinha não conseguiu a finalização. Pouco depois, o ataque tricolor trabalhou rápido, Gleison recebeu na entrada da área e bateu por cima da meta.

A movimentação dos homens de frente do Friburguense confundia a marcação adversária, e era o suficiente para a equipe criar algumas situações interessantes.  Faltava ao Tricolor caprichar no último passe e nas conclusões. Ziquinha até conseguiu desviar o levantamento de Lucas Toledo, porém a bola não foi na direção do gol. O Barra Mansa, por sua vez, tentou ameaçar aos 29 minutos, mas o chute de Léo Lima passou longe da meta de Luiz Felipe. Aos 37, Luiz Felipe deixou o gol para tentar mexer no placar em cobrança de falta, bem perto da grande área, mas errou o alvo. O camisa um foi mais decisivo debaixo da trave, evitando o gol do Barra com boa intervenção aos 40 minutos. Sem acréscimos e inspiração, a primeira etapa teve fim no Marrentão.

Jarles marca no fim

Nas entrevistas antes do retorno para o segundo tempo, tanto Merica quanto Luiz Fernando reclamaram das condições do gramado, que de fato não era das melhores. Nivelado e de nível técnico baixo, o confronto teve o Barra Mansa mais presente ao campo de ataque no início do segundo tempo. Luiz Felipe teve que trabalhar em algumas cobranças de escanteio e faltas para afastar o perigo. A impressão era de que o time que encontrasse o gol primeiro ficaria bem próximo da vitória, tamanha a dificuldade na criação de jogadas nos primeiros 15 minutos. Lucas Toledo teve a agilidade para dominar e bater com perigo na sequência para a defesa de Santos. Pouco depois Gleison também arriscou de média distância, mas o goleiro do Barra Mansa defendeu sem maiores dificuldades no centro da meta.

Na primeira alteração, Merica trocou Ziquinha por Jarles. Manteve as características, mas apostou em um atleta mais descansado. Naquela altura o Barra Mansa ganhava terreno, enquanto o Friburguense encontrava problemas para trabalhar a bola. Depois de algum tempo, o Tricolor voltou a finalizar através de Gleison, sem direção aos 33 minutos. Para reforçar a artilharia aérea, o atacante Ricardo foi a campo na vaga de Lucas Sales. Desta forma, Lucas Toledo foi deslocado para a esquerda e o Tricolor passou a ter três atacantes.

Com dois homens de área, o Friburguense buscava a ligação direta, e foi desta forma que Lohan sofreu falta na intermediária aos 41. A defesa afastou o levantamento, e no rebote Yan mandou para longe da meta. Com o coração na ponta da chuteira, o Tricolor da Serra chegou ao gol no minuto seguinte: Jarles brigou pela bola com Ian, venceu a dividida e estufou as redes com o pé direito. Merica prontamente tirou Gleison, colocou o volante Everton e reforçou a marcação no tempo regular restante e nos quatro minutos adicionais. Ao apito final, festa, alívio e três pontos fundamentais para seguir na briga pelas semifinais da série B Estadual.

Ficha Técnica

Barra Mansa 0 x 1 Friburguense

Campeonato Carioca Série B 2017

Taça Corcovado – 3ª rodada (2º turno)

Estádio Marrentão, Duque de Caxias-RJ

Público: 250 pagantes

Renda: R$ 1.500

25/07/2017 – 15h

Árbitro: Elton Azevedo

Assistentes: Jackson Lourenço dos Santos e Guilherme Tavares

 

Barra Mansa: Santos; Tokinho, Ian, Gustavo e Willian; Jorginho, Amaral (Vinícius), Sampson e Léo Torquato (Jhonathan); Kaike e Léo Lima.

Técnico: Luiz Fernando Irala

 

Friburguense: Luiz Felipe; Yan, Bruno, Roberto Júnior e Lucas Sales (Ricardo); Rafael, Lucas Toledo, Jefinho e Gleison (Everton); Ziquinha (Jarles) e Lohan.

Técnico: Merica

 

TAGS: futebol | Série B