Câmara define nesta sexta composição da CPI da Saúde

Bancada de situação deve ter maioria na comissão que irá investigar sucessão de contratos emergenciais para fornecimento de alimentação hospitalar
sexta-feira, 21 de setembro de 2018
por Marcio Madeira (marcio@avozdaserra.com.br)
O Hospital Municipal Raul Sertã (Arquivo AVS)
O Hospital Municipal Raul Sertã (Arquivo AVS)

O presidente da Câmara Municipal de Nova Friburgo, vereador Alexandre Cruz (PPS), estabeleceu prazo até as 18h desta sexta-feira, 21, para que os blocos partidários indiquem, conforme os critérios de proporcionalidade, os vereadores que passarão a integrar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada a fim de investigar o contexto que envolveu as repetidas contratações emergenciais para fornecimento de alimentação hospitalar à rede pública municipal de Saúde.

Dados os diferentes laços de comprometimento dos parlamentares com o governo, a composição da CPI pode ter impacto sensível sobre os rumos da investigação, e por isso torna-se muito importante acompanhar as indicações. Abaixo, A VOZ DA SERRA apresenta com exclusividade o cenário sobre o qual as lideranças partidárias estão trabalhando.

O que já se sabe

Entre os 21 vereadores, a participação ou ausência de alguns nomes já é conhecida. Sabe-se, por exemplo, que o vereador Zezinho do Caminhão, autor da proposta da CPI, tem sua participação assegurada, e já anunciou que exercerá o direito de escolher a relatoria. Por outro lado, a presença de Zezinho inviabiliza a participação do vereador Professor Pierre, por serem ambos do mesmo partido.

Da mesma forma, o vereador Nami Nassif já declarou publicamente que não irá participar da comissão, ao passo que o bloco formado por MDB e PSC – que engloba os vereadores Isaque Demani, Maguila, Wellington Moreira e Sérgio Louback – declinou do direito de indicar um integrante, contra a vontade de Wellington Moreira, que já havia manifestado o desejo de tomar parte nos trabalhos. Restam, portanto, quatro vagas a serem preenchidas por 14 vereadores, distribuídos em quatro blocos partidários.

Possibilidades e tendências

O bloco formado por PRB e PHS é, certamente, o mais previsível de todos. A indicação de Johnny Maycon é dada como certa. A se confirmar, ela elimina da equação os nomes de Nazareth Catharina, Marcinho, e do presidente Alexandre Cruz. Ficam, assim, três vagas para os dez vereadores restantes.

O bloco PP-PDT, que reúne os vereadores Alcir Fonseca, Luiz Carlos Neves, Joelson do Pote e Cascão, também tem direito a uma indicação. Nos bastidores da Câmara, as principais apostas recaem sobre os nomes de Cascão e Luiz Carlos Neves, nesta ordem.

O DEM, dos vereadores Marcio Damazio, Vanderléia Lima e Naim Pedro, também fará uma indicação, que deve recair sobre Vanderléia, uma vez que Damazio é candidato a deputado estadual e Naim já confidenciou que sua participação não seria recomendável por questões de saúde.

A última vaga será indicada pelo bloco formado por PSDC e PHS, que reúne os vereadores Carlinhos do Kiko, Jânio Carvalho e Nami Nassif. Como já dito anteriormente, Nami declinou da possibilidade de participar. Entre os parlamentares do PSDC o cenário segue indefinido, embora nos bastidores haja quem aposte que a vaga fique com Jânio.

TAGS: saúde | CPI