Cadão é operado com sucesso e promete retorno aos campos

Aos 45 anos, jogador é o que mais vestiu a camisa do Friburguense
sábado, 28 de janeiro de 2017
por Vinicius Gastin
Zagueiro inicia processo de recuperação: previsão é de quatro meses (Foto: Tiago Ferreira)
Zagueiro inicia processo de recuperação: previsão é de quatro meses (Foto: Tiago Ferreira)

Muita gente pode achar que a história de Cadão com o Friburguense e o futebol teve fim após as fraturas na tíbia e na fíbula da perna direita, durante o amistoso do último domingo, 22, contra o Macaé. Mas o capitão, exemplo de vitalidade aos 45 anos, quer surpreender mais uma vez e sequer cogita não voltar aos gramados. O primeiro passo de uma recuperação longa, é verdade, foi dado na noite da última segunda-feira, 23.

O zagueiro passou por uma cirurgia, que durou aproximadamente três horas. A previsão estimada para recuperação do atleta é de três a quatro meses. Desta forma, ainda poderá participar da campanha do Tricolor na série B Estadual. E por que não, talvez, de desafios em fases mais avançadas da Copa do Brasil.

“Essa semana eu tive uma contusão grave, mas é apenas mais uma barreira de tantas outras que vou superar na minha vida. Só posso agradecer por todo o apoio e pelo carinho, pelas mensagens de incentivo. Em breve estarei de volta. Pretendo encerrar minha carreira dentro de campo com a camisa do Frizão. Creio em Deus e na minha recuperação”, disse em sua primeira declaração após a operação.

O procedimento aconteceu no Hospital Raul Sertã. Prevista para acontecer às 18h, a cirurgia sofreu um pequeno atraso, e Cadão só começou a ser operado por volta das 20h30. Entretanto, todo o processo cirúrgico ocorreu sem problemas. O zagueiro já teve alta e está em casa.

Aos 45 anos, Cadão chegou ao Eduardo Guinle em 1996, e é o jogador que mais vestiu a camisa do Friburguense em toda a história. De acordo com registros oficiais, o zagueiro esteve presente em 412 jogos do clube, em quase todos carregando a braçadeira de capitão. Um dos líderes do elenco e ídolo da torcida, é o segundo maior artilheiro do Tricolor da Serra, com 41 gols marcados, atrás apenas de Ziquinha, que possui 47.

 Após a queda do Friburguense em 2016, Cadão chegou a pensar na hipótese de encerrar a carreira, mas a vontade de recolocar o clube na elite estadual e a condição física privilegiada contribuíram para que continuasse a defender o Tricolor da Serra. Além disso, iniciou a carreira de treinador ao comandar o time de juniores no Torneio Otávio Pinto Guimarães do ano passado. O zagueiro estava treinando entre os titulares, ao lado de Bruno. Roberto Junior é o favorito para substituí-lo, mas há ainda a opção de recuar Bidu para a zaga e manter o jovem volante Rafael na equipe.

Foto da galeria
Recuo de Bidu ou utilização de Roberto Junior são opções para a posição do capitão
TAGS: