Após ação do MP, Renato Bravo faz visita surpresa ao Raul Sertã

Prefeito percorreu alas e ouviu queixas e elogios de pacientes. Promotoria quer cronograma para conclusão de obras no hospital
quarta-feira, 19 de junho de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Com a nova secretária de Saúde, Emmanuele Marques, Renato Bravo conversa com parentes de pacientes (Fotos da Secom/ PMNF)
Com a nova secretária de Saúde, Emmanuele Marques, Renato Bravo conversa com parentes de pacientes (Fotos da Secom/ PMNF)

Em visita surpresa, o prefeito de Nova Friburgo, Renato Bravo, esteve na noite desta terça-feira, 18, no Hospital Municipal Raul Sertã. A visita surpresa aconteceu depois que o Ministério Público do estado ajuizou uma ação civil pública em que cobra a conclusão de obras que se arrastam há anos na principal unidade de saúde da região.

Bravo chegou ao hospital por volta das 20h30 e visitou as enfermarias, a Central de Tratamento Intensivo (CTI), a ortopedia, a urologia e a pediatra. O prefeito conversou com pacientes e acompanhantes. Ouviu elogios à comida fornecida pela unidade e ao atendimento acolhedor da equipe de médicos e técnicos, mas também recebeu queixas sobre marcação de exames e o desconforto enfrentado por acompanhantes que passam as noites em cadeiras de plástico.

Acompanhado da nova secretária de Saúde, Emmanuele Marques, Renato Bravo também visitou as obras na ala de especialidades médicas, onde serão abertos 30 leitos para neurologia e cirurgia vascular. Falta apenas a instalação do piso para inauguração do espaço, segundo o governo. A visita do prefeito ao hospital durou cerca de duas horas e não foi acompanhada pela imprensa.

Bravo esteve no Raul Sertã depois que o MP pediu à Justiça, na sena passada, que determine que a Prefeitura de Nova Friburgo apresente, no prazo máximo de 45 dias a partir da decisão, um cronograma definitivo de obras emergenciais e de reestruturação do atendimento no hospital, sob pena de aplicação de multa pessoal e diária ao prefeito e à secretária de saúde em caso de descumprimento.

Conforme noticiou A VOZ DA SERRA, o pedido, que ainda será analisado pela Justiça faz parte de uma ação civil pública que teve origem em um inquérito civil que tramita no MP desde 2016. De acordo com as investigações, foi constatada inadequação da prestação do serviço de saúde na unidade hospitalar, como falta de materiais necessários para cirurgias médicas, carência de condições sanitárias, estrutura precária do imóvel e inadequação dos quadros de profissionais de saúde, tanto para atividade fim, como para atividade meio.

Entre os pedidos contidos na ação estão, entre outros: a disponibilização do cronograma das obras em andamento e das que estão previstas; a informação sobre a existência de contrato em vigor para a manutenção de equipamentos médicos hospitalares; e a apresentação de informações em relação às licenças sanitárias inexistentes, aos leitos não habilitados junto ao Ministério da Saúde e sobre a adoção de controle informatizado de estoque da farmácia.

Em abril, a prefeitura reiniciou as obras de expansão do prédio anexo do Hospital Raul Sertã. A nova ala abrigará, segundo a Secretaria de Saúde, 30 leitos, sendo 20 adultos e dez infantis, do Centro de Terapia Intensiva (CTI) localizado no térreo, além clínicas médicas, a serem instaladas nos dois outros andares. Iniciada em 2012, a obra fazia parte do projeto “Somando Forças”, do governo estadual, e foi paralisada devido à crise no estado.

A prefeitura também realiza licitação para aquisição de equipamentos para as novas alas, com R$ 10 milhões destinados pelo Ministério da Saúde. Ao todo, serão comprados 596 equipamentos, segundo informações do município. Além da construção do prédio anexo, o Hospital Raul Sertã também passa por intervenções em seu prédio principal. Obras de reforma da lavanderia, da recepção e da ortopedia se arrastam há alguns anos.

A respeito da ação do MP e das obras no hospital, a Secretaria municipal de Saúde informou que vai iniciar a formalização de um cronograma de obras e reestruturação do Raul Sertã, “embora algumas intervenções importantes estejam adiantadas, como a recepção, o CTI pediátrico, lavanderia, segundo e terceiro pavimentos, além da área de descarte de resíduos hospitalares”.

 

TAGS: Governo | saúde