Apoiar e fortalecer

sexta-feira, 18 de novembro de 2016
por Jornal A Voz da Serra

A SEMANA Nacional do Doador de Sangue, que começa nesta segunda-feira, 21, culminando na próxima sexta-feira, 25, Dia do Doador de Sangue, não é apenas uma data sem importância. Ao contrário, revela a preocupação com um problema que diariamente aflige pacientes e instituições hospitalares em todo o Brasil. A falta de doadores é um problema nacional e longe, ainda, de uma plena solução. 

GOVERNOS anteriores realizaram curso de capacitação para formação de agentes multiplicadores para conscientizar a comunidade sobre a importância da doação de sangue. Numa iniciativa inédita na época, os organizadores objetivaram envolver representantes de todos os segmentos da sociedade, sensibilizando a população para a doação de sangue no município.

O HEMOCENTRO de Nova Friburgo, assim como os demais hemocentros do país, encontra dificuldades diárias para manter o estoque de sangue em níveis mínimos de segurança para atender não só a população friburguense, mas a de mais 12 municípios da região Centro-Norte, o que torna o problema ainda mais grave. O nível de doações está abaixo do mínimo necessário, que seria entre 35 e 40 bolsas de sangue.

A SITUAÇÃO somente poderá ser resolvida através da solidariedade. As pessoas que necessitam de transfusão podem contar somente com os saudáveis e que se dispõem a doar sangue. É a única esperança de vida para milhares de pessoas. Trata-se de um ato humanitário que o friburguense certamente não saberá negar, pois a tradição solidária de nossa população vem sendo demonstrada em diversas atitudes de amor ao próximo.

UM HOSPITAL com a abrangência do Raul Sertã, com características regionais, devido à inexistência de outros hospitais do mesmo porte para atender a diversos municípios da região, necessita de sangue disponível em quantidade e qualidade adequadas. Sem o estoque necessário, cirurgias são canceladas e será enorme o ônus se isto vier a ocorrer. É preciso, pois, compreender a importância da doação para manter os níveis adequados para o pronto atendimento hospitalar.

O CIDADÃO comum, ao se preocupar com a sorte dos outros, ao se mobilizar por causas de interesse social e comunitário, estabelece laços de solidariedade e confiança mútua que nos protegem em tempos de crise. Por tantos benefícios que o gesto traz para o voluntário — no caso específico o doador de sangue — é que o voluntariado merece ser valorizado, apoiado, divulgado e fortalecido.

TAGS: